Passeios turísticos

Nanas

Les trois Nanas sur la berge de la Leine.

As célebres Nanas de Niki de Saint Phalle ocupam lugar de destaque nas margens do Leine. Outrora controversas, as três "Damas gorduchas" há muito que se encontram entre os temas fotográficos mais cobiçados da cidade.

Curvas voluptuosas, cores brilhantes: Desde 1974, as três Nanas Sophie, Charlotte e Caroline (batizadas assim em homenagem à Princesa-Eleitora Sofia de Hanôver, Charlotte Buff e Caroline Herschel) em Leibnizufer têm estado entre os temas mais procurados no ambiente urbano de Hanôver. As volumosas esculturas da artista Niki de Saint Phalle foram inicialmente consideradas uma pedra no sapato para muitos cidadãos. O protesto foi seguido de um intenso debate sobre arte em espaços públicos – com um final feliz: as "Damas gorduchas" conquistaram há muito o coração dos habitantes de Hanôver. E em 2000, a artista foi nomeada cidadã honorária.

Ela expressou a sua gratidão ao legar 300 das suas obras ao Museu Sprengel de Hanôver. Com as suas esculturas das Nanas, Niki de Saint Phalle antecipou o emergente movimento feminista em meados dos anos 60. Através do aceção das

Nana am Hohen Ufer

esculturas e da composição coerente da forma e conteúdo, ela chegou concomitantemente muito além do feminismo, com uma visão holística da vida e da arte, que ela deu forma com a sua Casa Golem, projetos arquitetónicos e filmes, e mais recentemente no seu Jardim de Tarot perto de Grosseto. As Nanas formaram o prelúdio da "Milha de Esculturas", que se estende até Königsworther Platz e engloba oito obras de arte.

Aos sábados o espaço em torno das Nanas torna-se num frenético palco de conversações e regateios com a feira da ladra mais antiga da Alemanha. Desde as primeiras horas da manhã até à tarde, as pessoas compram e vendem aqui praticamente tudo. O verdadeiro local de culto para turistas e caçadores de pechinchas!